Valor do bruto da produção agrícola de Guarapuava supera R$ 1 bi

Guarapuava se destaca entre os nove municípios do Paraná com essa marca e é o primeiro do Núcleo Regional da Seab

Guarapuava se destaca no Paraná pelo valor do bruto da produção agrícola (Foto: arquivo/RSN)

Guarapuava se destaca entre os municípios paranaenses no valor bruto da produção agrícola. Assim sendo, a produção agropecuária está entre os nove municípios que ultrapassaram R$ 1 bilhão de faturamento nesse setor.

De acordo com o técnico do Departamento de Economia Rural (Deral), Dirlei Manfio, Guarapuava foi o município que apresentou a maior variação, com acréscimo de 30,8%. No ‘ranking’ estadual, o município ocupa a 4ª colocação, entre os 399 municípios. Isso equivale a R$ 302,23 milhões.

Conforme Manfio, o principal fator que fez a elevação do VBP está na cultura da batata-inglesa que agregou muito valor. “Tivemos mesma produção, mas o preço foi muito bom”. Se houve um aumento de 6,7% na área, 10,9% na produção, a elevação do preço médio do produto em relação a safra anterior fez a diferença.” Esta cultura apresentou um aumento de 138,5% no VBP, passando de R$ 92,5 milhões para R$ 220,6 milhões”.

Conforme Dirlei Manfio, essa cultura ocupava a 5ª colocação na safra passada, quando representava 5,5% do VBP. O tubérculo representa 9,9% do VBP neste ano. Todavia, com uma  produção 3,4% menor que a anterior, apresentou a maior elevação monetária de todos os produtos acompanhados no VBP. Assim de R$ 208,7 milhões passou de R$ 176,3 milhões para R$ 385,0 milhões. “Este fato foi gerado pelos bons preços recebidos pelos produtores, que foi 115% superior em relação a safra anterior”.

MAIOR GERADORA DE RENDA BRUTA

Guarapuava é a maior geradora de renda bruta, pois produz mais tubérculo na segunda safra, recebendo os melhores preços por ser entressafra. Nesta safra, a região de Guarapuava respondeu por 31,5% do VBP da batata e a Regional de Curitiba 24,7%.

Entretanto, o grupo dos produtos florestais também contribuiu para esse resultado. Ocupando a 4ª colocação, teve aumento de 60,6%, mudando de R$ 63,2 milhões para R$ 101,5 milhões. “Destaco que 80% desse aumento foi proveniente das madeiras em tora”.

Ainda nesse grupo dos produtos florestais, as madeiras em tora de pinus e eucalipto, apresentaram um aumento de 21,9% no volume produzido em 2019 em relação à 2018. Todavia, apresentou redução nos preços recebidos, portanto, o aumento foi de 19,2% no VBP, gerando um acréscimo de R$ 31,7 milhões, nas madeiras em tora.

Já a erva mate, produto que também faz parte do grupo dos produtos florestais, apresentou um incremento de 33,7% na sua produção. Conforme Manfio, com preços melhores que a safra anterior, conseguiu elevar em 44,3% o seu VBP. Assim, passou de R$ 65,1 milhões para R$ 94,0 milhões. Ou seja, foi o produto que teve o maior valor nominal no grupo dos florestais na Região de Guarapuava.

Na sequência, no grupo de Avicultura, apresentou um incremento de 36,6%, equivalente a R$ 47,4 milhões, provocado, principalmente, pelo aumento de 20% da produção de pintainhos avós. Passando de R$ 128,4 milhões para R$ 175,8 milhões o VBP proveniente da avicultura, na qual é o terceiro grupo mais importante no município de Guarapuava.

REGIONAL TEVE AUMENTO DE 20,5%

O Núcleo Regional da SEAB de Guarapuava ocupa a 11ª colocação no ranking estadual do VBP de 2019, de um total de 23 núcleos regionais. Em 2018 ocupava a 12ª colocação. Conforme Direli Manfio, o VBP estadual em 2019 foi de R$ 97,72 bilhões, com acréscimo de 8,8% em relação ao ano anterior, que foi de R$ 89,78 bilhões, em valores nominais.

Assim, a Regional teve aumento de 20,5% em relação ao VBP ano passado. Só perdendo para a Regional de Paranaguá, que teve incremento de 25,6%. Em valores nominais, a Regional de Guarapuava teve aumento de R$ 661 milhões, passando de R$ 3,23 bilhões para R$ 3,89 bilhões. Conforme esse resultado, é o terceiro núcleo regional que mais elevou o  VBP neste ano.

De acordo com os índices apresentados, a soja é a responsável por 31,4% do VBP deste ano. Ela representava 36,7% na safra passada. Mesmo com o aumento no preço da saca de soja em 2019, apresentou elevação de apenas 3% no VBP (R$ 35,6 milhões) em decorrência do recuo na produção.

A soja é a principal cultura geradora de renda bruta da agropecuária em todos os municípios da Regional de Guarapuava.

Conforme Manfio, a bovinocultura acabou perdendo a colocação pela batata. Em 2019 passou a ocupar a 3ª posição no ranking do VBP regional. “Houve uma redução no abate de animais (-1%) em relação a 2018. Porém, houve aumento de 17% na comercialização de animais para recria/engorda. O que gerou acréscimo de R$ 47,3 milhões no grupo da bovinocultura neste período (15,5%), passando de R$ 304,5 milhões para R$ 351,8 milhões.

CULTURA DE FEIJÃO SE DESTACA

(Foto: Divulgação Iapar)

O destaque desta safra foi registrado pela cultura do feijão. Mesmo que ele represente 5,1% do VBP deste ano na Região de Guarapuava, foi a cultura que ocupou a segunda colocação em aumento do valor. Portanto, só perdeu para a batata. Assim, passou de R$ 97,3 milhões em 2018 para R$ 199,7 milhões em 2019, incremento de R$ 102,4 milhões.

Entretanto, a grande façanha do feijão foi ter apresentado a maior variação percentual no valor em relação ao ano anterior: 105%. Este fator foi obtido pelos aumentos de: 14,4% da área plantada, 9,4% da produtividade, consequentemente, 25,5% da produção e, mais o aumento de 63,4% pelos preços recebidos pelos produtores nesta safra.

Já a suinocultura da Região de Guarapuava não é tão expressiva no VBP regional nem estadual. Assim, ocupa a 12ª colocação no ranking regional, alterando seu valor de R$ 75,6 milhões em 2018 para R$ 93,4 milhões em 2019. Mas é importante destacar que na Região está instalado um dos maiores suinocultores do Paraná.

OUTRAS CULTURAS

(Foto: Sebrae)

De acordo com o técnico do Deral, Dirlei Manfio, as hortaliças tiveram elevação significativa de 48,6% em 2019. “O aumento monetário foi de R$ 24,2 milhões, passando de R$ 49,9 milhões em 2018 para R$ 74,2 milhões”. Conforme o técnico, o principal fator deste aumento está relacionado ao aumento da produção e preços da cebola e tomate, com VBP de R$ 20,7 milhões e R$ 28,8 milhões, respectivamente. Eles respondem por 66,7% do VBP no grupo das hortaliças.

No grupo da fruticultura, o que se destacou na Regional de Guarapuava no ano de 2019 é o maracujá e morango. Ambos gerando renda bruta de R$ 5,47 milhões e R$ 5,39 milhões, respectivamente, os quais contribuíram com as demais frutas na elevação de 20,9% do VBP deste grupo.

No Núcleo Regional de Guarapuava, os quatro municípios mais expressivos no VBP de 2019 são: Guarapuava, Prudentópolis, Pinhão e Candói. Juntos representam 73,9% de toda a produção primária.

Como o aumento do VBP estadual foi de 8,8%, é possível notar que na Regional de Guarapuava, apenas o Município de Cantagalo obteve variação inferior a média estadual. Os outros quatro municípios apresentaram elevação mais que o dobro desta média.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Relacionadas

QUE DELÍCIA

Guarapuava tem capacidade para armazenar 10,5 mil toneladas de maçãs

AGRICULTURA

Trigo paranaense abastece mercado interno em janeiro

REPRESENTATIVIDADE DE PESO

'Carta de Guarapuava' pede menor tarifa para o pedágio

Comentários