UniGuairacá faz campanha contra a violência doméstica

Acadêmicas de psicologia da UniGuairacá Centro Universitário abordam o tem 'Vizinha você não está sozinha', de conscientização sobre a violência doméstica

UniGuairacá faz campanha contra a violência doméstica (Imagem: Ascom/UniGuairacá)

As acadêmicas Daiane de Paula e Kaellen Crystyne da Rosa, do curso de Psicologia da UniGuairacá Centro Universitário estão desenvolvendo a campanha ‘Vizinha você não está sozinha’. O tema trata da conscientização sobre a violência doméstica.

De acordo com as acadêmicas, o assunto era trabalhado junto ao Centro de Referência Especializado de Assistência Social em Guarapuava. As alunas participavam de um grupo destinado a mulheres que já sofreram algum tipo de violência de gênero. Conforme as acadêmicas, a intenção e trabalhar a sororidade, desenvolvimento de autonomia, constituição como mulher, comunicação e autoconhecimento. Porém, com as medidas de isolamento social contra o novo coronavírus, elas perceberam uma maior necessidade de falar sobre o tema.

(Imagem: Ascom/UniGuairacá)

De acordo com dados coletados na Procuradoria da Mulher do Paraná, apenas no primeiro final de semana da quarentena houve um aumento de 15% nas denúncias de violência doméstica no Estado. Assim, a partir disso, as alunas tiveram a iniciativa de iniciar uma campanha on-line de enfrentamento da violência contra a mulher. Eles entendem   que mais pessoas possam entrar em contato com a realidade desse problema social e de saúde pública.

“Acreditamos que a psicologia, enquanto ciência e profissão, tem um papel importante nesse cenário de isolamento social, e temos o intuito de atingir um grande número de pessoas com essa campanha”.

A CAMPANHA

(Imagem: Ascom: UniGuairacá)

A campanha é desenvolvida durante o Estágio Profissional de Processos de Promoção de Saúde III, ministrada pela professora Mônica Adriane Barbosa. O objetivo é chamar atenção para o tema em tempos de isolamento social; informar ao maior número de pessoas os telefones disponíveis para denúncia de violência doméstica; e também, mobilizar as pessoas a estarem atentas aos sinais de violência no seu cotidiano.

SERVIÇO

Se souber de algum caso de violência, denuncie. Telefones importantes:

180 atendimento à mulher

190 para emergências

100 direitos humanos

Relacionadas

EDUCAÇÃO MUNICIPAL

Educação convoca 100 aprovados no concurso público em Guarapuava

EDUCAÇÃO

Sistema Socioeducativo tem 45 adolescentes inscritos no Enem

SISU

Inscrições para o Sisu no primeiro semestre ocorrerão de 6 a 9 de abril

Comentários