Secretário estadual da Saúde mantém recomendação de isolamento social

Ele destaca que o Paraná ainda não atingiu o pico da doença e o Estado mantém em vigor o decreto 4.230/20 que baliza as referências para enfrentamento da covid-19

Assim, ele destaca que o Paraná ainda não atingiu o pico da doença (Foto: Reprodução/AEN)

Com o aumento de casos de covid-19 no Paraná, o Governo do Estado mantém a recomendação do isolamento social e reforça a necessidade da adoção de medidas preventivas em todas as Regiões para conter a pandemia do novo coronavírus. O alerta foi feito pelo secretário estadual da Saúde, Beto Preto, nesta quarta (15).

De acordo com ele, o Paraná ainda não atingiu o pico da doença e o Estado mantém em vigor o decreto 4.230/20, que baliza as referências para enfrentamento da covid-19. “Temos contágio, transmissão comunitária e precisamos da colaboração da sociedade para manter um equilíbrio”.

Além disso, o secretário reforçou que o governo estadual quer atuar em parceria com as prefeituras, instituições setoriais, empresas e a própria sociedade para enfrentar o avanço do novo coronavírus. “Temos que continuar nos adaptando, tomando decisões em conjunto”.

O secretário destaca que a quarentena restritiva, determinada pelo decreto 4942/20 em sete regionais de Saúde (Cascavel, Curitiba e Região Metropolitana, Toledo, Foz do Iguaçu, Cianorte, Londrina e Cornélio Procópio), ajudou a desacelerar a pandemia no Paraná, mas que os dados técnicos diários da vigilância precisam continuar orientando as ações em todos os municípios.

EQUILIBRANDO

O secretário também disse que a quarentena restritiva foi importante para equilibrar os estoques dos medicamentos analgésicos. Desse modo, contribuindo com a interrupção das cirurgias eletivas, e para aumentar a margem de tempo para o Paraná ampliar a oferta de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) nas quatro macrorregiões de Saúde.

Segundo Beto, apenas em julho, o Governo do Estado abriu 106 novas UTIs para adultos. No total, já são 913 leitos disponíveis na rede pública em todo o Paraná. Dessa maneira, somando um aumento de 70% em relação aos espaços de tratamento avançado disponíveis antes da pandemia.

Buscamos sempre o equilíbrio. Sem a primeira quarentena não chegaríamos preparados em quantidade de leitos e equipes nesse período mais difícil de inverno. Montamos uma estrutura robusta, são três hospitais regionais novos, unidades de retaguarda e equipamentos de primeira linha.

Beto Preto também lembrou que o Estado ainda pode ampliar a estrutura hospitalar e chegar a 1,1 mil leitos de UTI nos próximos dias. Isso faria o Estado praticamente dobrar a oferta de unidades avançadas no Sistema Único de Saúde (SUS). Ele citou a abertura de mais dez leitos de UTI no Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais, em Ponta Grossa, e 14 no Centro Hospitalar de Reabilitação, em Curitiba.

Outro ponto importante foi o Decreto 4.320/20, publicado em 16 de março, que foi a base da suspensão das aulas presenciais. Ele também ajudou a balizar as normativas técnicas da Saúde para atividades específicas, que também devem ser levadas em consideração pelos municípios e pelas empresas.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

EXPLOSÃO

Em novo recorde, Brasil tem 1.726 mortes por covid-19 em 24h

MULTA DE R$ 5 MIL

Após decreto, fiscalização já multou 14 estabelecimentos em Guarapuava

DOE

Moradores de Guarapuava podem doar e ajudar famílias do Acre

Comentários