Procon-PR dá 10 dias para empresas solucionarem reclamações

O Procon exige que fornecedores tenham soluções mais rápidas para os problemas apresentados pelos consumidores. Os preços abusivos também são fiscalizados

Procon-PR dá 10 dias para empresas solucionarem reclamações (Foto: Reprodução/AEN)

O Procon-PR está atendendo normalmente os consumidores desde o início da pandemia do coronavírus por meio de plataformas on-line, com o intuito de evitar aglomerações. Como as audiências estão suspensas o órgão passou a notificar os fornecedores de produtos e serviços para que apresentem uma solução às reclamações feitas e formalizadas pelos consumidores em um prazo de no máximo 10 dias úteis.

De acordo com Ney Leprevost, secretário do Procon-PR, a medida quer evitar aglomerações e preservar o cuidado com o consumidor. “O objetivo é dar endereçamento às reclamações apresentadas pelos cidadãos, através dos processos administrativos já formalizados. Na prática, exige dos fornecedores a solução para o problema do consumidor sem que haja a necessidade de reunir as partes em audiências, o que é perigoso nesse momento”.

O Procon também está investigando denúncias de preços abusivos, mais de 600 estabelecimentos comerciais já foram notificados pela comercialização de produtos. Conforme a Agência de Notícias Estadual, Claudia Silvano, chefe do Procon-PR, a partir do recebimento das notificações os fornecedores devem manter contato com os consumidores para resolver o problema apresentado. Não havendo a solução nos prazos apontados, a empresa está sujeita a multas que variam de R$ 600 a R$ 8 milhões.

Assim, quando uma notificação é emitida, o consumidor é informado pelo Procon-PR por telefone sobre o novo procedimento. Por fim, é importante ficar atento, já que os contatos dos fornecedores também devem ser feitos por telefone.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

RECESSO

Shopping está com atendimento especial na Praça de Alimentação

ARRASANDO

Com crescimento de 14%, Paraná amplia liderança na produção de tilápias

CONTRA A COVID-19

Fiscalização 'fecha o cerco' e multa quem descumpre decreto

Comentários