Governo viabiliza R$ 500 milhões para agricultura familiar

Programa do Governo beneficia também pequenas cooperativas com linhas de créditos e juro zero, subsidiado pelo Estado

Anúncio do Governo contou com Ratinho Junior e Norberto Ortigara (Foto: AEN)

Cerca de R$ 500 milhões passam estar à disposição do agricultor paranaense a partir desta terça (27). De acordo com o programa de crédito, os juros contam com subsídios do Governo do Estado. A operação tem a garantia do Banco do Agricultor Paranaense, lançado na manhã de hoje (27) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior no Palácio Iguaçu.

Conforme o governador, a proposta é alavancar investimentos por meio da equalização de taxa de juros. Além de promover inovação tecnológica, sustentabilidade, geração de emprego e melhoria da competitividade do produto paranaense. Assim, a concessão se deve aos impactos da pandemia da covid-19 na economia paranaense. Além das severas estiagens verificadas em 2020 e a necessidade de reduzir custos de produção.

Para isso, o Estado vai compensar o agricultor, por meio da Fomento Paraná. Haverá o reembolso de até três pontos porcentuais do juro contratado junto às instituições financeiras. Desde que estas trabalhem com crédito rural. Neste primeiro momento estão credenciados o Banco do Brasil, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e cooperativas de crédito.

Ou seja, dependendo do enquadramento dentro do programa e das condições do empréstimo, o financiamento terá  juro zero para o agricultor. Desse modo, segundo o governador, os encargos ficam sob responsabilidade do Governo. Há, ainda, carência mínima para o pagamento da primeira prestação, variável de acordo com cada linha de crédito.

Qualquer lugar do mundo só vira uma potência quando descobre o que faz de melhor. No Paraná o que sabemos fazer de melhor é produzir alimentos. Hoje, exportamos comida para centenas de países e o agronegócio é responsável por cerca de um terço do Produto Interno Bruto (PIB) do nosso Estado.

Então, segundo Ratinho Junior, o Governo tem responsabilidade de incentivar a criação de um ambiente de negócios que favoreça o setor. “O Banco do Agricultor Paranaense é inédito no País”.

De acordo com a lei aprovada pela Assembleia Legislativa, a subvenção está autorizada para cooperativas e associações de produção. Também de comercialização e reciclagem, e agroindústrias familiares. Assim como os projetos que utilizem fontes renováveis de geração de energia e ou destinados à irrigação, entre outros. O financiamento terá operação do Programa Paraná Mais Empregos.

Conforme o programa, há linhas de crédito para irrigação, cooperativas da agricultura familiar. Além de agroindústrias e leite, água, pinhão e erva-mate, piscicultura e orgânicos. Todavia, o Banco do Agricultor Paranaense prevê também subvenção para operações em obras civis, aquisição de materiais e equipamentos. E ainda na elaboração de projetos de geração de energia a partir de fontes renováveis. Se enquadram ações do modelo solar fotovoltaica e biomassa. Entretanto, com prioridade para projetos relacionados à Geração Distribuída ou Geração Isolada.

COMO ACESSAR

Para acessar o programa, basta o agricultor ou empresário buscar o banco conveniado com a Fomento Paraná. Em seguida, deve acertar as condições do investimento. Maiores informações estão disponíveis no site oficial. Confira também a apresentação oficial.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

TRIBUNAL DO JÚRI

Mudança de tese de defesa marca primeiro dia de júri de Manvailer

BANCO DO AGRICULTOR PARANAENSE

Governador lança projeto tecnológico e sustentável para agricultor paranaense

LUTO

Morre o empresário rural Ernest Milla por complicações da covid-19

Comentários