Frio valoriza reserva de araucária que é atração na ‘Capital dos Pinheirais’

Nada melhor do que curtir um dia ou uma noite fria, colhendo o pinhão. Esse fruto é responsável por uma fatia da economia do município

Em Turvo a araucária é árvore símbolo do Município (Foto: C. Vale)

Em tempo de outono e inverno, principalmente em Turvo, a lenha crepitando no fogão pede a chapa cheia de pinhão, o fruto da araucária. Afinal, o fruto pinheiro, árvore nativa e símbolo do Paraná, encontra o ‘habitat’ nesse município.

Por conta dessa extensa mata da araucária que se estende em quinhões divididos,  a Assembleia Legislativa do Paraná reconheceu o município de Turvo como a ‘Capital dos Pinheirais’. A proposição tem a assinatura do deputado estadual Rodrigo Estacho (PV), apresentada ainda em 2019. Localizado a cerca de 43 quilômetros de Guarapuava, Turvo detém uma das maiores reservas nativas de araucária.

De acordo com a justificativa do deputado, o município possui 60% de cobertura florestal com o pinheiro paranaense. Além disso, segundo Estacho, é a segunda maior produtora de pinhão no território paranaense, com cerca de 200 mil quilos colhidos durante o ano. “Inclusive, significativa parte da economia do município decorre da exploração desta atividade de coleta e venda de pinhão”. Entretanto, o município não confirma as informações.

BELEZA VERDE

As florestas de araucária existentes no município resultam em atrações turísticas. Uma delas é a Trilha da Copa Alta. Nada melhor do que curtir um dia ou uma noite fria, colhendo o pinhão. E a dica é uma boa sapecada. Para quem não conhece, basta colher o fruto do pinheiro e jogá-lo na brasa para que asse. Depois é só se deliciar. E se houver uma bate-papo com amigos e ainda o som de uma viola, o ‘programa’ fica ainda mais interessante.

Entretanto, outra alternativa é o Caminho dos Pinheirais. Conforme a ‘Gralha Azul – Turismo de Aventura’, no trajeto é possível contemplar a rica fauna e flora. Além da mata nativa com os pinheiros, árvore símbolo da cidade. “O lugar conta com 15 cachoeiras, que se abrem aos turistas a partir de duas trilhas. Todavia, 10 delas estão no percurso mais longo, de 21 quilômetros”. Entretanto, trata-se de um trecho exclusivo para a prática do ciclismo.

Assim, nesse local, o visitante que optar pela caminhada irá se aventurar na trilha de 19 quilômetros. Esse percurso surpreende pelas cachoeiras. “Seja a pé ou de bike, o passeio é uma ótima oportunidade para apreciar os encantos naturais e cuidar da saúde. E não precisa ficar só observando, é possível também refrescar-se nas quedas d’água”.

 

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

Relacionadas

DENUNCIE IRREGULARIDADES

Ouvidoria recebe denúncias sobre medidas de proteção no fim de semana

TALENTOS PARANAENSES

34º Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia tem inscrições até junho

INFRAESTRUTURA

Governador vistoria pavimentação da PR-239 que liga Pitanga e Mato Rico

Comentários