Erva-mate ganha impulso com estudos para o controle de pragas

Emendas de Hussein Bakri somam R$ 609 mil e vão permitir a compra de equipamentos e pesquisas da erva-mate no Paraná

Erva-mate (Foto: Divulgação)

Emendas que somam R$ 609 mil vão permitir a compra de equipamentos e pesquisas da erva-mate no Paraná. De autoria do deputado estadual Hussein Bakri, os recursos destinam-se ao controle de pragas. De acordo com o presidente da Conselho Gestor da Erva-mate do Vale do Iguaçu (Cogemate), Naldo Vaz, de Birutuna, uma das pesquisas terá o envolvimento da Unioeste e vai estudar a ‘ampola’.

Trata-se de um inseto que ataca a produção. Entretanto, outro estudo será feito pela Embrapa a respeito de lagartas nas plantações. Conforme Naldo Vaz, a terceira pesquisa será feita pelo campus de União da Vitória do Instituto Federal do Paraná. Pretende estudar a composição química da erva-mate da Região, em especial do tipo sombreado. “Este último estudo envolve a compra de diversos equipamentos. Estes poderão ser usados em outras atividades de ensino, pesquisa e extensão nos cursos técnicos médio e de graduação do IFPR”.

Conforme Naldo Vaz, o produto no Paraná é sustentável e proveniente de florestas. “Por isso, as pesquisas ajudam não só o produtor, mas a qualidade dos alimentos e na sustentabilidade das nossas florestas.”

Naldo Vaz, presidente do Cogemate (Foto: Reprodução/Facebook)

MAIOR PRODUTOR

Vale lembrar que o Paraná é  o maior produtor da matéria-prima sombreada para o chimarrão do Brasil. Apenas em 2018 o Estado produziu 532,89 mil toneladas. Conforme a Agência Estadual de Notícias, a erva da Região que inclui Bituruna é um dos verdadeiros tesouros do Paraná. Os núcleos regionais de União da Vitoria, Guarapuava e Irati, respondem por 81,7% do valor bruto da produção do Estado. Ainda, o Deral aponta como os maiores produtores os municípios de Cruz Machado, São Mateus do Sul, Bituruna, Santa Maria do Oeste e General Carneiro. Conforme Naldo Vaz, o Paraná responde por 55% da produção nacional e envolve 300 mil pessoas. Somente em 2020, o setor movimentou R$ 600 milhões.

De acordo com o Hussein Bakri, a erva-mate é um dos carros-chefe da economia regional. “Maior desafio do Sul do Paraná, a geração de emprego e renda passa diretamente por estimular e fortalecer a cadeia produtiva da erva-mate”.

REUNIÃO VIRTUAL

A reunião virtual que garantiu as emendas contou com os prefeitos do Sul do Paraná e de representantes da Emater, FAEP, Território Iguaçu. Além da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, Sebrae, Senac, Sindimate e Amsulpar. “Momento histórico para a cadeia produtiva da erva-mate do estado do Paraná”, resumiu o presidente do Cogemate, Naldo Vaz.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

UTILIDADE PÚBLICA

Agência do Trabalhador de Guarapuava retoma atendimento presencial

ALERTA

Prudentópolis informa sete novos casos suspeitos de dengue

IMPORTANTE

Artecerva convoca associados para assembleia geral

Comentários