Agricultura incentiva uso de áreas para cultivo de trigo no inverno

Nota Técnica elaborada por técnicos do Sistema de Agricultura do Paraná diz que a produção do cereal pode garantir mais renda aos produtores

Os técnicos registram que o Brasil colhe cerca de 6,2 milhões de toneladas de trigo anualmente (Foto :Jaelson Lucas/AEN)

A Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento e o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater emitiram uma Nota Técnica incentivando o uso de áreas para o plantio de trigo no inverno. De acordo com as informações, a orientação inclui as cultivares mais adequadas. Além disso, visa garantir renda ao produtor caso haja impossibilidade de semeadura do milho segunda safra.

Desse modo, os técnicos registram que o Brasil colhe cerca de 6,2 milhões de toneladas de trigo anualmente. Além disso, a liderança é paranaense, responsável pela metade da produção. No entanto, o consumo é de 11,8 milhões de toneladas. Em razão disso, somente no ano passado, o País importou 6,8 milhões de toneladas.  “Desse modo, acarretando o envio de recursos financeiros escassos para o exterior. Que deixam de ser utilizados na cadeia produtiva deste importante cereal de inverno.”

O Paraná cultiva cerca de 5,5 milhões de hectares com soja. No inverno, o milho segunda safra ocupa 2,28 milhões hectares dessa área, enquanto o trigo fica restrito a 1,12 milhão de hectares. “Fica evidente que a área de trigo ou de outros cereais de inverno, como a aveia e o triticale, poderia ser significativamente expandida em detrimento do pousio”, afirma a Nota Técnica.

RENTABILIDADE

Ela registra, ainda, os problemas climáticos que atrasaram o desenvolvimento da soja e sua colheita. Com isso, também ocorre que a semeadura do milho safrinha no período mais propício esteve afetada. “Uma opção para os agricultores que estão enfrentando o problema da semeadura do milho segunda safra, dentro do prazo estabelecido pelo Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC), é o cultivo de cereais de inverno”, sugerem os técnicos.

Nesse sentido, o trigo é a principal alternativa, encaixando perfeitamente no período de abril a outubro, dependendo da região, em sucessão à soja. Além disso, também promove a rotação de culturas e auxilia na proteção contra erosão, retém a umidade e reduz a temperatura do solo, favorecendo processos biológicos e químicos.

“Some-se a isso a possibilidade de um retorno financeiro de exceção, uma vez que desde 2007 a cultura do trigo não apresentava uma rentabilidade tão alta”, acrescenta o documento. De acordo com dados do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, em novembro de 2020, a rentabilidade chegou a 49%.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

PROGRAMA EM IRATI

Programa 'Porteira Adentro' quer atender 1.400 produtores em Irati

GRANDE INVESTIMENTO

Agrária participa de investimento para nova fábrica de malte

DESMATAMENTO

Polícia Ambiental multa homem em R$ 29 mil por desmatamento

Comentários