O quê todo o dinheiro do mundo não compra?

E se hoje houvesse a disponibilidade na sua conta bancária de todo o dinheiro do mundo. O quê você compraria? Todo o dinheiro do mundo, paga por aquilo que você gostaria hoje de ‘reaver’? Nos meus, pouco mais, de 32 anos de idade, eu aprendi que o dinheiro não compra nada do que é essencial e isso não é apenas da boca pra fora. Questionei alguns amigos mais cedo sobre isso, e um deles me disse: “eu compraria olhos para minha mãe”.

Algumas outras pessoas me disseram que, o que valeria todo o dinheiro do mundo, era saúde. Quase que a totalidade, compraria a vida de pessoas que já morreram. Outros, brincaram, e disseram que gostariam de deixar de usar máscaras. Alguns, poucos, pensaram em bens materiais. Mas, tem coisas que nem todo o dinheiro do mundo compra.

Se eu tivesse todo o dinheiro do mundo hoje, eu compraria o tempo. Eu gostaria de manipular os momentos, poder viver e reviver cada um daqueles dias que me moldaram para o hoje. Eu queria poder ter aproveitado mais aquele abraço. Ter sido mais paciente naquele momento. Poderia ter prestado mais atenção naquele detalhe e dado mais importância para uma ou outra questão. Gostaria de comprar o tempo para poder fazer algumas [poucas] coisas diferentes. Mas pra poder viver tudo de novo, com mais intensidade, energia, clareza e com mais tempo!

O fato é que deixar o passado no passado torna a vida mais leve, mas o presente não seria presente sem o passado. Faz sentido para você? Tudo que faz sentir, o dinheiro não compra, não tem custo. Estes dias atrás escrevi sobre minha curta experiência de gravidez. Hoje, 29 de abril, completa um ano desde que perdi meu bebezinho dentro do banheiro do hospital. Se eu pudesse comprar algo com todo o dinheiro do mundo, eu compraria todo o tempo do mundo para consertar o TEMPO. Pra dar mais tempo. Tempo de amar, tempo de aprender, tempo de esperar, tempo pra entender. Tempo, apenas. Ele [o tempo] só anda para frente e essa [pode ser] a maior das tragédias.

Larissa Ortiz. Jornalista do Portal RSN.

 

Comentários